Pãe

jun 17, 2010 by

Pãe

.

Tem pai que é machão. Pai que é melosão. Pai super-herói. Pai que é amigão. Pai que é caixa eletrônico. Pai que sabe-tudo. Pai que é fã. E tem pai…  que é pãe!

Sabe lá, pelas coisas desta vida, e você se viu obrigado a se filiar nesta última categoria masculina: o pãe. Apresento-lhes um grupo seleto de homens que, forçados ou não, assumem a calça nas pernas e a saia no coração (sem tolice, que não é o que você está imaginando!). São machos bem resolvidos que jogam em todas as posições, de goleiro a atacante, no campo da paternidade. Já viu craques multitarefas assim? Desempenham todos os tipos acima, talvez porque seja a esposa quem trabalha fora com um salário inquestionável, ou uma viagem inadiável dela lançou-o como um Peter Pan sem Sininho na Terra do Nunca, ou porque a separação foi a única alternativa para uma relação que descobriu um tesouro, porém distanciou os exploradores.

E agora você é um pãe. Ponto final.

Hoje, quero homenagear de maneira prática aqueles que desempenham funções múltiplas para dar conta do recado. Cuidar de alguém periga tomar o lugar de cuidar de si mesmo e isso complica a paz de quem sonha acertar. Não jogue a toalha! Dá pra fazer desta maratona uma aventura adrenalizante com direito ao pódio.

Faça do humor seu maior aliado.

Até as mulheres reconhecem que os homens são maioria nas galerias estreladas dos melhores cozinheiros, músicos e humoristas. Se você foi divertido para conquistar uma mulher por que não resgatar este charme peculiar no dia-dia da paternidade? As crianças nascem do útero e se tranqüilizam nos seios maternos, eu sei, mas não tem rival a altura quando deixamos aflorar nosso lado Jim Carey revestido de Pateta com pitadas de Tom Cavalcanti. Não tem filho no mundo que não se apegue a um pai fortão fazendo graça. A gargalhada pode ter só quatro dentes, mas certamente virá e você reforçará a autoconfiança de poder cativar alguém. Se rir faz bem, rir-se é ainda melhor – não faltará oportunidade de você se divertir com um xixi feito na mão ou uma papinha mais na cara do que na boca.

Acalme e se acalme!

Só piada não mata a fome, nem põe pra dormir. Vamos às letras miúdas no rodapé do contrato. Tem momentos em que a pior coisa pra se fazer no universo infantil é agitar. São situações altamente instáveis onde “rir é o pior remédio”. Calma lá, não se mande para o outro extremo – ninguém está falando de grosseria, nem emburramento. Falo daqueles minutos rotineiros que garantem o desenvolvimento saudável do seu filho. Entre outros, o prelúdio imprevisível que antecede o sono, que acompanha o estômago roncando, ou obriga uma instantânea intervenção na fralda cheia (de “números uns” ou, urgentemente, com o “número dois”). Acalmar um bebê-atômico é condição vital para dormir e comer. Mantenha a sua cabeça fria e esfrie a dele com música clássica, luz de penumbra e muita paz.

Previna as compras com uma famigerada listinha.

Não sei você, mas eu detesto as listas infinitas de “comprinhas” que as mulheres adoram fazer. Porém quando o assunto é um bebê nos braços a pior coisa é descobrir no aconchego da madrugada que não tem fralda ou acabou o Tylenol Baby (para febres tão comuns quanto tenebrosas). Por isso, previna-se! Tenha um papel acessível para anotar coisas básicas chegando ao fim. Anote! Para nós homens isso é uma  afronta à nossa memória infalível, mas é melhor quebrar este orgulho mental do que perder a paciência às três da manhã. Tenha sempre uma TPM (Técnica de Provisão de Macho) para pomadas, fraldas, papinhas, termômetro, antiinflamatórios, lenço umedecido e leite em pó infantil. Você me agradecerá antes do galo cantar.

Não descuide de você.

Viver em função de alguém não pode sufocar a paixão pela sua própria vida. Não é fácil amar o espelho quando se vê lá um cara exausto, manchado, encurvado, descabelado e com olhos parecendo pneus. Mas lembre-se da célebre frase “nada é tão ruim que você não consiga piorar”. Pura verdade! Abdominal ao pé do berço, boa alimentação, trocar de roupa no dia-dia, fazer a barba, passear tomando sol, unhas e cabelos em dia, etc, tudo isso dará um upgrade na sua auto-estima. A propósito, um paizão charmoso é peça valiosíssima por aí. Vê se pára de achar que os nove meses das mulheres nos dão o direito de seguir seus passos. Uma coisa é barriga de grávida, outra bem diferente é pança de preguiçoso. (Sei que “peguei pesado”, mas você nem imagina o orgulho bacana que dá depois…)

Seja macho lendo revista de mães.

Não adianta! Nenhuma editora lúcida no mundo lançará uma revista “Você, Pai, S.A.”. Se quisermos ajuda prática ao alcance de uma folhada de páginas, teremos que nos render ao público feminino. Tem muito periódico de excelente conteúdo que, excetuando as matérias de amamentação, também servirão perfeitamente para nossa cultura paterna (inclusive aquele parágrafo indigesto falando de estrias). Se você foi promovido a PÃE, deixa de besteira machista e leia mais sobre aquilo que as mulheres dão show na gente por saberem mais. Você nunca vai perder massa muscular por aprender como ser um pai melhor.

Ganhe um Oscar de melhor roteiro adaptado.

Filme nenhum no mundo chega ao estrelato se, primeiramente, não sabe aonde quer chegar. Por isso existem os roteiros de cinema que definem tudo. Com o pãe é a mesma coisa. Se você não planejar seus horários, suas ações e prioridades rotineiras, entrará em colapso imediatamente. Mentalize, persevere, escreva, enfim, anteceda suas ações para não tornar-se refém do desespero das acumulações. Bebê, na verdade, é previsível em seus instintos de necessidades básicas. Funcionam como um relógio meio doido, mas acabam tendo seu ritmo, horários e ciclos diários. Invista um tempo sistematizando suas atividades e curta o tapete vermelho de um dia melhor.

Seja o pai na Terra, mas filho do Pai do Céu.

Se você não tiver um pai para sentir-se filho, então as coisas ficarão bem complicadas para o seu lado. Melhor ainda se Ele for o Pai de todo o Universo. Acredito que prostrar-se em oração com nossa filiação limitada é oportunizar a divindade revelar seu verdadeiro poder. Não somos onipresentes para fazer tudo ao mesmo tempo, mas Deus é onipotente para tornar tudo mais possível. Confie nEle, conte com Ele, fale com Ele e, se preciso for, pode até berrar com Ele – feito seu bebê. Deus sabe, e se importa com tudo o que passamos por aqui – ainda mais quando queremos ser um pai à semelhança dEle. Prepare-se porque as coisas vão melhorar. Pode crer!

Agora me dá licença que vou tentar ser “Pãe” e por em prática o que acabei de escrever, pois minha super-esposa-mãe saiu pra passear.

Tá certo, ela também tem o direito de ser “Mai”!

.

Related Posts

Share This